No texto anterior vimos que a força-de-vontade é um recurso limitado e, por isso, ela deve ser usada com parcimônia. Pois a boa notícia, nesta história, é que a força-de-vontade funciona de forma semelhante a um músculo: durante e imediatamente após o seu uso, ele fica enfraquecido; mas quanto mais você o exercita, mais forte ele fica.

A psicóloga australiana Megan Oaten selecionou alguns de seus alunos para um programa de planejamento financeiro pessoal, adequando melhor despesas e receitas de forma a poupar mais dinheiro.

Após as primeiras semanas, os voluntários melhoravam a cada dia a sua capacidade de economizar. Não bastasse isso, eles também obtiveram avanços significativos em outras dimensões de suas vidas, notadamente as que necessitavam de maior autocontrole e organização – ao contrário do grupo controle, que não havia passado pelo programa de planejamento.

O teste do marshmallowAinda que estas pesquisas sejam iniciais, mostram uma consistência com as conclusões do famoso experimento do marshmallow, no qual crianças precisavam resistir durante algum tempo a uma apetitosa guloseima para ganhar outra igual.

A parte interessante do estudo é que conforme foram crescendo, as crianças que resistiram à oferta inicial desenvolveram uma capacidade maior de autocontrole e obtiveram mais sucesso em tarefas que exigiam tal habilidade.

Assim, quando você estiver passando por momentos em que deverá tomar decisões importantes, é bom ficar atento ao que exige de sua força-de-vontade, pois ela pode prejudicar outros aspectos da sua vida.

Por outro lado, aproveite os momentos mais calmos para exercitar sua capacidade de resistir a tentações. Deste modo, ela estará em forma quando você mais precisar dela!