a lógica do cisne negroPense nos acontecimentos que mais tiveram impacto na sua vida, que mais lhe marcaram e mudaram os rumos da sua história particular – para melhor ou para pior. Uma promoção (ou demissão) no trabalho, o fim de um relacionamento, a morte de um ente querido.

Agora tente se lembrar se você tinha algum controle sobre estes eventos. Provavelmente foram episódios repentinos e que lhe pegaram desprevenido, certo?

Pois esta é a definição de um cisne negro, tal como explica Nassim Nicholas Taleb em A Lógica do Cisne Negro: o Impacto do Altamente Improvável (Best Seller, 2008). Segundo o autor, cisnes negros são eventos:

  • altamente improváveis, mas nem por isso impossíveis;
  • que mudam completamente o rumo das coisas; e
  • embora praticamente imprevisíveis, são fáceis de explicar depois que acontecem.

Daí você pode tirar algumas lições:

  1. Coisas boas acontecem com você sem que você espere.
  2. Coisas ruins acontecem com você sem que você esteja preparado.
  3. Você pode estar preparado para algo bom, enquanto algo ruim acontece.
  4. Você pode estar esperando algo ruim, enquanto algo bom acontece.

Resumindo as quatro possibilidades acima, a verdade é que controlamos muito pouco daquilo que nos acontece, embora gostemos de acreditar que realmente estamos no controle das nossas vidas.

E, neste cenário, pensar positivo tem pouquíssima influência sobre o desfecho dos acontecimentos. Conselhos que sugerem apegar-se ao otimismo – e mais nada! – ignoram o papel decisivo do acaso em nossas vidas.

Prefira, portanto, os que lhe incentivam e ensinam a estar preparado para os acidentes de percurso e aproveitar as oportunidades que aparecem. Porque, mesmo invisíveis, os cisnes negros estão por aí. Mesmo para os que insistem em não enxergá-los.