GladiadorFechando a série a respeito da influência do Líder sobre seus subordinados, chegamos àqueles cuja Competência é seu maior trunfo. Apesar de a capacidade técnica e intelectual de uma pessoa parecerem motivos óbvios e suficientes para que uma equipe siga seu chefe, os textos anteriores mostraram que esta talvez não seja a única razão. Autoridade, Carisma, Controle sobre Recompensas e Punições também representam importantes formas de Liderança.

Quando um Líder domina determinada área, significa que ele reúne um conjunto de habilidades que o torna capaz de realizar certas tarefas de modo particularmente eficiente.

Uma equipe que reconheça tal aptidão em quem a lidera terá, na maioria das vezes, uma grande confiança em seguir aquilo que lhes é determinado. O time já percebeu, pelos exemplos passados, que a pessoa no comando sabe o que está fazendo.

Numa das memoráveis cenas de Gladiador (Gladiator2000), que pretendia reencenar a lendária batalha de Cartago, Maximus é reconhecido na arena por alguns dos outros gladiadores como sendo o general que os conduziu em inúmeras vitórias em batalhas anteriores.

Junto com seus companheiros, Maximus lidera-os na arena e conduz a horda de bárbaros a uma inesperada e espetacular vitória contra o grupo inimigo.

Competência também está atrelada a uma determinada área, pois cada conjunto de conhecimentos específicos serão mais ou menos importantes dependendo da situação. Imagine, por exemplo, que você e sua equipe se percam naquele evento motivacional que seu departamento de RH inventou para a sua empresa, bem no meio da Floresta da Tijuca. Quem você prefere seguir: o seu Diretor Financeiro ou aquele estagiário da sua área que é escoteiro?

Um equívoco comum, no entanto, é confundir competência com arrogância ou estrelismo. O líder competente não precisa ficar lembrando a seus subordinados o quão sábio ele é. Quem está ao seu redor percebe quando a pessoa silenciosamente exala conhecimento por todos os poros. Ou quando alguém está apenas se gabando por alguma trivial peripécia.

Via de regra, o líder competente mescla habilmente a segurança de quem sabe o que está fazendo, com a humildade de quem reconhece que aqueles ao seu redor nem sempre acompanham o seu raciocínio. Entendem que uma equipe equilibrada é a mescla de competências, onde ele contribui com sua destacada habilidade técnica fazendo um encaixe perfeito com a secretária super eficiente, o analista bem informado e até o outro gerente meio devagar, mas muito bem relacionado.

Agora que fechamos essa série de textos sobre as formas de poder que permeiam as relações corporativas, aceito sugestões para os próximos temas. Que tipos de assuntos relacionados à Liderança você considera mais relevantes? Quais são as dúvidas sobre o comportamento do seu chefe que mais te deixam intrigado(a)? Como você acha que seu relacionamento no trabalho poderia melhorar? Aguardo os comentários e sugestões.