endurance_tripulação2Nos textos anteriores vimos três formas distintas de exercício de Poder, através das quais um líder pode conseguir influenciar seus subordinados a realizar aquilo que ele deseja; seja através da sua Autoridade ou do controle sobre as Recompensas ou Punições. Essa tríade encerra as formas de persuasão baseadas numa força hierárquica, em que o cargo ocupado determina quem manda e quem obedece.

Mas nas relações interpessoais – seja em ambientes corporativos ou não – outras forças concorrem para que as pessoas façam valer seus desejos e aspirações, independente do cargo que ocupem. Alguns impõem-se por sua Competência, demonstrando tamanha habilidade ou conhecimento técnicos que, para aqueles ao seu redor, fica evidente o que deve ser feito.

Outros contam, de forma distinta, com uma especial característica que confere-lhes uma inescapável ascendência sobre seus comandados: o carisma.

O termo deriva do grego kharisma, que significa dom, ou favorecido por Deus/divindade. Trata-se de um traço de personalidade marcado por um charme e magnetismo pessoais, aliados a uma grande habilidade de comunicação pessoal e persuasão.

Os líderes carismáticos são capazes de atrair a atenção e admiração daqueles à sua volta, inspirando seus liderados e levando-lhes a agir conforme suas palavras. Eles destacam-se em áreas tão distintas como as Ciências (Einstein, Stephen Hawkins), a Política (Gandhi, John F. Kennedy, Che Guevara, Lula), os Esportes (Pelé, Senna, Maradona), as Artes (Charles Chaplin, Picasso, Elvis Presley, Marilyn Monroe), a Religião (Madre Teresa, João Paulo II), o campo Militar (Sun Tzu, Leônidas, George S. Patton) e até mesmo na Ficção (o Gladiador Maximus Decimus Meridius, Atticus Finch, Super Homem, James Bond, Rocky Balboa).

Alguns usam tais características, ainda, para a prática do mal, como Hitler, Charles Manson (o psicopata líder de uma seita macabra que aterrorizou Los Angeles na década de 1960) e o pastor Jim Jones (que levou mais de 900 pessoas a um suicídio coletivo na Guiana, em 1978) . E, por que não? Darth Vader.

No mundo corporativo, diversos líderes reúnem algumas dessas habilidades à frente de suas empresas, construindo de uma sólida imagem de sucesso, transformada por seus seguidores em verdadeiros ícones empresariais. John D. Rockefeller, Henry Ford, Akio Morita, Sam Walton e Steve Jobs, para citar apenas alguns, fizeram história revolucionando mercados através da criação e difusão de novas visões do mundo, compartilhadas com entusiasmo por gerações.

Mas líderes carismáticos podem ser encontrados em todos os níveis, em qualquer empresa. É aquele seu colega que você admira, o chefe de quem você gosta ou até mesmo o subordinado que você percebe que tem luz própria. Por algum motivo irracional você quer estar perto dele e deseja que ele goste de você também, quer ser integrante do seu grupo e fazer parte do seu mundo.

Se você é essa pessoa que descrevi aqui, se identificou com as personalidades citadas, saiba que esse dom traz consigo grandes responsabilidades. Suas inatas habilidades pessoais te colocam em evidência para os que estão à sua volta e suas atitudes estão sempre em destaque. Provavelmente você servirá de modelo aos mais novos e exemplo aos mais velhos. E o que mais precisamos atualmente é de bons modelos e exemplos.

Mas se você está longe de ser a pessoa mais carismática do mundo, não é motivo para desespero. O carisma é, de fato, uma característica com um forte componente natural, ou seja, a pessoa nasce carismática (já reparou como algumas crianças lideram suas turminhas desde o pré-escolar?). Dificilmente uma pessoa aprende a ser carismática. Alguns tentam simular essa característica, quase sempre com resultados desastrosos. Lembro-me de um Diretor de Vendas numa empresa onde trabalhei que forçava com sua equipe uma empatia que ele não tinha. Inevitavelmente ele comportava-se como um caricato palhaço de auditório.

O líder carismático exala carisma por todos os poros. Ele tropeça graciosamente, espirra magnificamente e quebra copos como ninguém. E, mesmo assim, você o adora! Mas o mais importante aqui é ser autêntico e não tentar forjar uma pessoa que você não é. Como estamos vendo nessa série, há pelo menos cinco maneiras de exercer liderança – e o carisma é apenas uma delas. Concentre-se, portanto, naquelas em que você é bom. Seja melhor ainda nessas e deixe as outras para quem as tem. Há várias combinações que podem te ajudar a alcançar os seus objetivos.

Meu exemplo de líder carismático? Ernest Shackleton, um navegador e explorador irlandês do início do século XX que participou de três expedições à Antártida na época em que se desbravava o continente gelado. Na última delas, comandada por ele, o implacável gelo polar estraçalhou seu navio, deixando sua tripulação à mercê do frio insuportável da região.

Com escassos recursos e sem comida ou equipamentos adequados, Shackleton inspirou sua equipe, manteve o moral dos seus liderados e cultivou a esperança em seus corações e mentes durante os dois anos em que estiveram perdidos. Sob o comando do heróico capitão, em condições tão desumanas quanto inimagináveis, todas as 28 vidas do navio Endurance foram salvas.

E quem é o seu exemplo de líder carismático? Quem você admira que reúne tais características?