9:00 Você chegou no escritório, foi até sua mesa e logou-se no seu notebook. 22 emails novos. Não está ruim. Uma olhada na foto de sua filhinha ao lado do monitor e você tem ânimo para encarar as mensagens. Surge uma dúvida sobre um cliente e você pergunta pro Marcelo, bem do seu lado. Outra dúvida, você abre uma gaveta e resolve com um folheto.

9:40 O Edgar vem falar com o Marcelo, para resolver um lance do reembolso. Você lembra do problema do seu cartão corporativo e fala com ele. Com uma ligação ele resolve.

10:20 Email da área técnica com uma dúvida sobre seu produto. No caminho pro café você chama o Flávio e conversa sobre o email. Um espresso e outro problema resolvido. O Flávio encontra o Bruno, de P&D e eles conversam sobre um novo protótipo. Você tem uma ideia e todos debatem o assunto. Marcam uma reunião dali a dois dias, com uma equipe de desenvolvimento. Ainda na cafeteria, você compra balas e biscoitos para deixar na sua gaveta.

11:00 Você olha para sua lousa. Um esboço da sua apresentação de fim de trimestre pede atenção. Você reclina a cadeira para trás um pouco, fecha os olhos e fica divagando. Os rabiscos que você fez com sua equipe parecem se mover. As palavras vão se encaixando e uma ideia começa a se formar. Você começa a escrever e, antes da hora do almoço, está tudo estruturado.

Agora avance uma semana no calendário. Por uma determinação da matriz, todo o prédio da empresa foi remodelado. A nova configuração, dizem, aumenta a integração entre os funcionários, maximiza a produtividade e melhora a motivação. Nas palavras deles. Nas suas, você sabe que é redução de custos.

Onde antes ficava sua baia, agora parece o saguão de um aeroporto. Só que você não vai embarcar para lugar algum. Ao contrário, você precisa trabalhar.

9:00 Você vai no seu armário pegar seu notebook. Como o armário também é sua caixa de correio, há algumas correspondências. Mas quem é Caio Monteiro? Esta carta é para ele. Colocaram na caixa errada. Onde será que estão colocando minhas cartas? Num lugar vazio na enorme bancada, você se acomoda para começar o dia. Que cadeira estranha… Menos estranha, porém, do que esta moça ao seu lado. Quantos piercings ela tem? E o que é esse buraco na orelha dela?

9:20 Emails: 138. Por que tantos? Você procura a foto da sua filhinha para ter ânimo. Mas você não tem mais ânimo de carregar o porta-retratos todos os dias. Surge uma dúvida e você quer perguntar pro Marcelo. Cadê o Marcelo? Você levanta e fica procurando. Inútil. É preciso ligar. Qual o ramal? Você não sabe. Claro: ele sempre sentou ao seu lado. Vamos procurar na intranet. Seu notebook não ligou. Está sem bateria. Onde está o cabo? No armário.

9:30 No caminho para o armário você liga pro Marcelo no celular. Ninguém atende. Volta pra mesa sem solucionar o problema. Você resolve enviar um email pro Marcelo para comentar sobre o problema. É quando você tem um insight sobre o motivo de os emails estarem se multiplicando na sua caixa de entrada.

10:20 Email da área técnica com uma dúvida sobre seu produto. Você pensa em chamar o Flávio para um café. Mas onde estará o Flávio? Procura o telefone na intranet. Liga e ele atende. Mas ele está do outro lado do prédio – onde tinha lugar na bancada. Você vai até lá mesmo assim. Problema resolvido.

10:40 Uma mensagem do Facebook pisca no seu iPhone. É o Marcelo pedindo o telefone de todo mundo porque roubaram o celular dele. Ontem, no escritório. Por isso ele não atendeu.

11:00 Chega o convite para a reunião trimestral. Aquela que você ainda não fez a apresentação. Você gostaria de conversar com sua equipe a respeito, mas não tem a menor ideia de onde eles estão. Precisa marcar uma reunião. Consulta a agenda deles e vê que tem um horário coincidente dois dias depois. Dois dias depois da reunião trimestral.

O terminal

O terminal (DreamWorks, 2004)

Você fecha os olhos e tenta pensar um pouco sobre os temas que deverá apresentar (não reclina a cadeira porque da última vez você quase caiu). A moça dos piercings não para de falar no celular e, do outro lado, o rapaz repete a música que escuta nos headphones. Um telefone perto de você toca sem parar. Impossível de se concentrar. Você abre os olhos e percebe seu chefe parado atrás de você.

– Desculpe, não queria te acordar, ele diz.

196 emails. E você não resolveu o problema do seu cliente com o Marcelo, nem o outro, do folheto. Também não se encontrou com o Flávio de P&D e jamais terá a tal ideia para um novo produto. Na sua lousa não tem nenhum registro de conversas anteriores, porque você não tem lousa. Nem porta-retrato ou gaveta de biscoito. Você está trabalhando no aeroporto. Ao menos ainda não roubaram o seu celular. Mas o seu cartão corporativo já foi cancelado, porque você também não encontrou o Edgar.